PROPOSTA PARA OE2014. APROVADA SEM PROTESTOS DO POVO

postal para o governoPROPOSTA DO SOCIÓLOGO BOAVENTURA SOUSA SANTOS. SOLUÇÃO PARA REDUZIR DESPESAS DO ESTADO E CONSEQUENTEMENTE BAIXAR DÉFICE.

CERTAMENTE TERIA A MAIOR OPOSIÇÃO DE SEMPRE DE TODOS OS PARTIDOS. MESMO O PRESIDENTE DA REPÚBLICA VETAVA ESTA PROPOSTA.

CORTAR NO POVO SIM! MAS NINGUÉM SE ATREVA A CORTAR NOS VARIOS SECTORES DO GOVERNO.

About Carlos Piteira

Licenciado em Microbiologia pela Maryland University. Especialista em Microbiologia Clínica pela American Society of Clinical Pathologists. Consultor da Qualidade do Ar Interior. Autor do livro: ” A Qualidade do Ar Interior em Instalações Hospitalares”

Ver todos os artigos de Carlos Piteira

Subscrever

Subscribe to our RSS feed and social profiles to receive updates.

3 comentários em “PROPOSTA PARA OE2014. APROVADA SEM PROTESTOS DO POVO”

  1. Vitor Says:

    Estamos a falar de 60.000.000,00€ de cortes propostos nesse artigo. Estes cortes até podem ser executados que eu sou a favor deles, mas são uma gota no oceano. O estado precisa de cortar 4 mil milhões de despesa isto é. 4.000.000.000,00€. A piada disto tudo é que andamos à 3anos para os políticos apresentarem as propostas que permitem esses cortes. Mas não, pelo contrário, nesse espaço de tempo aumentou os impostos e deixou a classe trabalhadora a pagar todo este esforço.

    Digo mais, se perguntar aos políticos sobre o que eles acham sobre o ordenado que eles recebem do estado. Eles dirão que é uma miséria. Pois é meus amigos,onde eles ganham o dinheiro é com as empresas e as negociatas que fazem enquanto estão no poleiro. Os políticos só apresentaram medidas agora porque foram pressionados pelos credores internacionais. E assim vai continuar…. Portugal nunca será um lugar diferente enquanto não haver ninguém que mude o pais de cabeça para baixo.

    Gostar

    Responder

    • opaisquetemos Says:

      Caro Vitor,

      Os meus agradecimentos pelo seu comentário.

      Verdade que 60 milhões de euros são trocos para 4 mil milhões de euros. Mas também 100 milhões de euros das sobrevivências, ainda que acima dos 2000 euros mensais, não passam de trocos. Mas a questão não se trata dos valores mas sim que são sempre as classes mais desfavorecidas a assumirem as responsabilidades de encher os bolsos do Estado grão a grão. Quanto a toda a estrutura governamental, à banca, aos grandes monopólios empresariais, todos esses são intocáveis, como o Vitor referiu: são uma gota no oceano.

      Desde que a troika entrou no país, que todos os défices alcançados têm sido virtuais à custa de receitas pontuais de privatizações, à recolha de fundos de pensões de instituições e a manipulações contabilisticas, muitas delas duvidosas ou não de boa fé.

      Futuramente, quando não houver mais privatizações, e assumindo as despesas contínuamente do cumprimento dos fundos de pensões, PT, Banca, etc. e os encargos sociais assumidos com corte dos postos de trabalho e menos contribuições para a Segurança Social, o défice, mesmo com as receitas provenientes dos cortes dos 4 mil milhões de euros será insuficiente para estabilizar o défice, que acabará por voltar a subir.

      É insustentável procurar resolver o défice com corte na despesa de 4 mil milhões de euros. Realisticamente, o défice para ser alcançado e ficar estável, deveria ser alcançado com metade desse valor alcançado através de produtividade e crescimento económico e outra metade com cortes na despesa, sem poupar qualquer sector da sociedade do país.

      A incompetência deste governo, perdeu 2 anos de gestão, e deixou agravar mais o estado do país, no aspecto económico e social. Neste momento, Portugal precisa de mais tempo para alcançar as metas estabelecidas, não de uma forma virtual como tem vindo a executar, mas sim de uma forma real e totalmente transparente. No entanto, este governo perdeu a credibilidade total e está demasiado saturado para encontrar soluções adequadas. A cedência de mais tempo ao país só teria um impacto positivo com alguém de competência para tirar proveito da oportunidade.

      Gostar

      Responder

  2. Marcos Pinto Basto Says:

    A proposta do sociólogo Boaventura Souza Santos já deveria ter sido tomada como primeira bandeira da luta pela moralização do País! Portugal está muito mal e se continuar neste ritmo de estagnação econômica, nem daqui a 20 anos sairá da miséria! Portugueses, abracem esta proposta de Souza Santos e imponham-na ao governo estapafúrdio desse Laparoto com uma greve geral!

    Gostar

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: