Arquivo | Maio, 2013

QUEM BENEFICIA DAS MEDIDAS DE AUSTERIDADE? ALGUNS APENAS

25 de Maio de 2013

6 comentários

O BANIF está falido e só o dinheiro dos contribuintes o mantém aberto.  Como é possível o pagamento de um salário milionário a um membro da Comissão Executiva e mais de meio milhão de euros de prémio de gestão à mesma gestora? Enquanto os portugueses não abrirem os olhos e vejam como o nosso dinheiro […]

Continue reading...

BANDEIRA PORTUGUESA

22 de Maio de 2013

4 comentários

Continue reading...

UM CONSELHO DE ESTADO SEM QUALQUER INFLUÊNCIA OU DETERMINAÇÃO

21 de Maio de 2013

6 comentários

O Conselho de Estado esteve reunido 7 horas procurando na imaginação visualizar o quadro do que será o país após a troika. Com tanto para resolver e sem soluções encontradas até ao após troika, como decadência da economia e aumento constante do desemprego, perdem uma reunião de sete horas a fantasiar no após troika? Louvado seja […]

Continue reading...

CONFLITO ENTRE AS GERAÇÕES DOS JOVENS E REFORMADOS

16 de Maio de 2013

6 comentários

Este artigo não é da minha autoria. Circula na net e é digno de ser publicado, porque representa a realidade actual. Um dos objectivos do Governo, com a bem orquestrada propaganda sobre o “peso das pensões de reforma”, é criar um claro conflito entre novos e velhos,  acirrando os ânimos entre uns e outros. Aos poucos estes […]

Continue reading...

O PS ESQUECE. MAS RECORDAR, É VIVER OU SOFRER?

7 de Maio de 2013

5 comentários

EM AGOSTO DE 1983, O GOVERNO DO BLOCO CENTRAL, ASSINOU UM MEMORANDO DE ENTENDIMENTO COM O FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL. OS IMPOSTOS SUBIRAM, OS PREÇOS DISPARARAM, A MOEDA DESVALORIZOU, O CRÉDITO ACABOU, O DESEMPREGO E OS SALÁRIOS EM ATRASO TORNARAM-SE NUMA CHAGA SOCIAL E HAVIA BOLSAS DE FOME POR TODO O PAÍS. O PRIMEIRO-MINISTRO ERA MÁRIO […]

Continue reading...

SERÁ QUE HÁ DEUS?

3 de Maio de 2013

2 comentários

Continue reading...

Se Camões fosse vivo, escreveria assim os “Canalhíadas”

2 de Maio de 2013

4 comentários

I As sarnas de barões todos inchados Eleitos pela plebe lusitana Que agora se encontram instalados Fazendo o que lhes dá na real gana Nos seus poleiros bem engalanados, Mais do que permite a decência humana, Olvidam-se do quanto proclamaram Em campanhas com que nos enganaram! II E também as jogadas habilidosas Daqueles tais que […]

Continue reading...