SUPOSTAMENTE O ESTADO É, OU DEVIA DE SER UMA PESSOA DE BEM

21 de Julho de 2012

Política Nacional

Segundo o semanário O SOL, os nossos governantes têm vindo a fazer inaugurações, cortando fitas e tirando retratos para a posteridade, mas deixando as contas por pagar de 6 mil milhões de euros em infra-estruturas de transportes.

Dá para entender em parte, a razão pela qual muitas das parcerias público privadas, nunca acabam, como foi prometido por Passos Coelho, durante a sua campanha eleitoral. Muitas ppp, são eventualmente usadas para encobrimento de negócios e dívidas do Estado, de modo a não serem expostas no deficit, e mostrar à troika uma imagem mais positiva do que é a verdade.

Esta situação, demonstra que o nosso governo não é nem transparente para os portugueses nem para as instituições financeiras externas e para a  CE. Obviamente, tal como na Madeira, que o governo nacional tanto critica, também no continente há despesas e dívidas não pagas, encobertas por debaixo de tapetes. Ou seja, os valores dados a conhecer publicamente, não correspondem à realidade do estado da dívida e deficit que o país acumulou.

Se a banca hipotecar e leiloar os bens do Estado por dívidas e juros de atraso, como acontece com as habitações, outros imóveis e móveis de cada cidadão em incumprimento, em muito pouco espaço de tempo, na forma como estamos sendo desgovernados, não haverá património nacional para cobrir o endividamento nacional, a nível interno e externo.

Há muito que suspeito, que a crise que estamos vivendo não chegará ao fim em 2013, 2015 ou mesmo 2020. Todas as datas sugeridas pelos nossos governantes, são puras especulações para optimismo.

Duvido que possamos sair de recessão num futuro próximo, sem aumento de emprego, de produção e da economia. É impossível sustentar mais austeridade. Como o líder  parlamentar do PSD, Luís Montenegro, disse em entrevista ao Expresso: “…ninguém pode afirmar categoricamente que não haverá mais impostos em 2013”.

Pelo contrário, Pires de Lima admite que o país não aguenta mais impostos, sugerindo mesmo uma queda da carga fiscal para 2013.

Perante indivíduos tão versados nestas matérias, em que ficamos com estas contradições?

Eu pessoalmente acredito, que mesmo com a carga já existente o país já está a arrebentar pelas costuras. E a prova é que apesar de toda a carga fiscal imposta, a receita dos impostos já é menos do que o esperado pelos iluminados governantes. A determinado momento, num futuro próximo, os custos com a segurança social serão muito superiores à receita da segurança social, devido ao aumento do desemprego, à emigração de portugueses e todo o tipo de subsídios sociais para evitar um aumento de miséria e doença mais drástico.

Tudo isto pode parecer muito negativismo de minha parte. Mas acreditem que é a realidade.

Há muito que andamos enganados e enganados vamos continuar.

About Carlos Piteira

Licenciado em Microbiologia pela Maryland University. Especialista em Microbiologia Clínica pela American Society of Clinical Pathologists. Consultor da Qualidade do Ar Interior. Autor do livro: ” A Qualidade do Ar Interior em Instalações Hospitalares”

Ver todos os artigos de Carlos Piteira

Subscrever

Subscribe to our RSS feed and social profiles to receive updates.

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s